// você está lendo...

categoria: 2003

PAPO RÁPIDO COM MARIA FERNANDA CÂNDIDO

Por Camila Menegaz

Maria Fernanda Cândido tem 29 anos, é paranaense de Londrina, foi eleita a mulher mais bonita do século XX e, na semana passada, conquistou o Kikito de melhor atriz do Festival de Cinema de Gramado pelo filme DOM, seu primeiro trabalho na “telona”. Na história, baseada no livro Dom Casmurro, de Machado de Assis, ela vive a personagem Capitu, o grande amor do ciumento Bentinho, interpretado por Marcos Palmeira.
Antes de embarcar para uma temporada de dez dias na Europa, Maria Fernanda, que já fez quatro novelas – Pérola Negra (SBT), Serras Azuis (Band), Terra Nostra e Esperança (Globo) – uma minissérie – Aquarela do Brasil (Globo), conversou com o Argumento sobre sua estréia no cinema.

Argumento: Fazer cinema era um sonho?
Maria Fernanda: Minha formação como atriz foi toda feita voltada para o cinema. Eu estudei interpretação para isso durante três anos com a Fátima Toledo e se hoje sou uma atriz, é por causa da minha grande paixão pela sétima arte.
Meu tão esperado encontro com ela demorou um pouco, porém aconteceu na hora certa. Tive a alegria de interpretar essa personagem deslumbrante, a Capitu.

Argumento: O que representa para sua carreira o Kikito de melhor atriz?
Maria Fernanda: É mais do que um ponto de chegada, ele representa um ponto de partida para mim, o início de uma história com o cinema brasileiro. Estou extremamente feliz por ter recebido esse prêmio.

Paulo Ricardo Kralik Angelini - Formado em Publicidade e Letras, doutor em literatura brasileira/portuguesa. Coordenador do departamento de estudos literários da Faculdade de Letras/PUCRS. Editor do site argumento.net, é autor da COLUNA CONTEXTO.
Mande um mail para o autor | Todos os artigos de Paulo Ricardo Kralik Angelini

Comentários

Sem comentários para “PAPO RÁPIDO COM MARIA FERNANDA CÂNDIDO”

Deixe um comentário